Aprovada pelo Cade, compra da Fibria pela Suzano depende agora de autoridades europeias

Por Lexis Nexis

A maior operação de M&A em termos financeiros da última década se aproxima de seu fechamento. Com a aprovação sem restrições do pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) à compra da Fibria Celulose pela Suzano Papel e Celulose, resta apenas a autorização de autoridades concorrenciais europeias para que a maior produtora de celulose do mundo seja criada. A nova companhia tem valor de mercado estimado em R$ 100 bilhões. Apesar de o meganegócio não ter despertado grandes preocupações concorrenciais, a International Paper do Brasil havia sido habilitada pelo Cade a atuar no caso como terceira interessada. Caso a concorrente apresente recursos à autarquia dentro de um prazo de 15 dias, a operação pode ser levada ao tribunal da autarquia.

A aprovação da autoridade antitruste brasileiro foi dada pela superintendência-geral (SG) da casa após uma extensa avaliação do peso da transação para o mercado de celulose. Embora o corpo técnico da SG tenha identificado sobreposições horizontais e uma concentração significativa no mercado doméstico de fibra-curta, o risco concorrencial foi minimizado pelo fato de a SG considerar a celulose de fibra curta uma commodity com preços estabelecidos internacionalmente. Os economistas da autarquia ressaltaram que existem fornecedores alternativos no mercado nacional com capacidade de absorção da demanda.

A International Paper do Brasil apresentou seu pedido de participação como terceira interessada em julho, alegando preocupações com os efeitos da transação no mercado nacional, especialmente nos segmentos de celulose, papel de imprimir e escrever, atividade florestal e embalagens. A SG, no entanto, considerou que não há incentivos para o fechamento de mercado de produção de papel.

Atenção no mercado europeu

Caso a concorrente intervenha no caso e consiga levá-lo ao tribunal do Cade, a autarquia terá até o fim de fevereiro de 2019 para analisar a transação. Enquanto o prazo para manifestação corre, as fabricantes de celulose já se empenham para obter a aprovação da Comissão Europeia. A Suzano protocolou o pedido de análise na semana passada e a autoridade pode concluir a avaliação ainda em 2018.

Diferentemente do que acontece no cenário doméstico, a produção de celulose no mercado europeu é menos pulverizada e a definição de mercado relevante será importante para definir o futuro da transação. Em março passado, o fundo de private equity Blackstone abandonou seus planos de fundir negócios no ramo de acetato de celulose ao fracassar em chegar a um acordo com a autoridade concorrencial da Europa. A operação envolvia a companhia Celanese e havia recebido aprovações sem restrições em diversos países, mas a Comissão Europeia demandou desinvestimentos que teriam tornado o negócio pouco atraente para as partes.

Já a compra da Eldorado Celulose pela Paper Excellence tem enfrentado dificuldades por outros motivos. A transação realizada no Brasil recebeu todas as aprovações concorrenciais, mas as partes divergiram sobre os valores pagos pela Paper à J&F Investimentos, controlada pelos irmãos Wesley e Joesley Batista e antiga controladora da fabricante de celulose. A holding concordou em vender o ativo por R$ 15 bilhões, divididos em duas parcelas, mas reivindicaram o pagamento de R$ 6 bilhões a mais, diante da alta de 41% do prelo da celulose após o anúncio da venda. O caso foi levado para uma câmara arbitral e paralisou a conclusão do negócio.

A despeito dos contratempos envolvendo as concorrentes, a estrutura financeira da operação entre Fibria e Suzano é mais estável. As partes já deram os primeiros passos para promover uma reorganização societária. Enquanto parte do pagamento será feito com a troca de ações, a Suzano conseguiu reduzir pela metade o financiamento contratado para custear uma fatia do pagamento em dinheiro pela fabricante. Graças à emissão de títulos de dívida e de uma geração de caixa fomentada pela alta do dólar, o empréstimo caiu de US$ 4 bilhões para US$ 2 bilhões.