Depois dos EUA, Suzano busca aval à fusão com Fibria em outros países

Por Valor Econômico

Três meses depois de assinar o acordo de compra da Fibria, a Suzano Papel e Celulose está se movimentando junto a órgãos antitruste em três continentes para garantir o aval à operação, que dará origem a um gigante mundial de celulose. A expectativa de consultores e analistas ouvidos pelo Valor é a de que o negócio não encontrará resistência, a exemplo do sinal verde dado recentemente pelos Estados Unidos.

Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link.