Suzano Papel e Celulose e TNC firmam parceria para recuperação de nascentes do rio Mucuri

SUZANO PAPEL E CELULOSE E TNC FIRMAM PARCERIA PARA RECUPERAÇÃO DE NASCENTES DO RIO MUCURI

A Suzano Papel e Celulose e a The Nature Conservancy (TNC), maior organização ambiental do mundo, anunciam a ampliação de sua parceria a partir de medidas voltadas à recuperação das nascentes do Rio Mucuri. Por meio do “Projeto Nascentes do Rio Mucuri”, formalizado no final de outubro, a Suzano e a TNC têm como objetivo promover a perpetuidade do rio, além de estimular iniciativas voltadas à proteção de nascentes.

Na primeira etapa do trabalho, que terá início ainda no final deste ano, será elaborado um diagnóstico da situação da cadeia de restauração que resultará em um plano que sinalize quais ações serão necessárias para promover a restauração da vegetação no entorno das nascentes do Rio Mucuri. Serão analisadas nesta etapa a situação de degradação ambiental nas margens dos rios e das nascentes do Rio Mucuri, além de questões consideradas estruturais para a recomposição das florestas, tais como disponibilidade de mudas e de mão de obra, por exemplo.

A partir do primeiro semestre do ano que vem, medidas como a recomposição da mata nativa nesses locais devem ser colocadas em prática, sempre tendo como objetivo a busca por resultados efetivos no médio e longo prazos. Tais iniciativas farão parte do Plano Estratégico de Restauração Florestal (PERF), a ser elaborado pela TNC.

“Nosso objetivo com este projeto é, além de contribuir para a perpetuidade do Rio Mucuri, criar um ambiente que estimule a cultura de preservação de nascentes no País”, explica Alexandre Di Ciero, gerente executivo de Sustentabilidade da Suzano Papel e Celulose. “Iremos além da simples execução do projeto. Nossa percepção é de que este projeto pode criar um ambiente que propicie essa cultura de recuperação de nascentes e, com isso, podemos envolver a participação de outros atores nessa iniciativa”, complementa Di Ciero.

Para garantir que o projeto se configure como um legado socioambiental, a Suzano Papel e Celulose e a TNC buscarão parcerias de outras empresas, administrações públicas e ONGs com atuação na área ambiental. Juntas, TNC e Suzano querem mapear os passivos de restauração florestal, os atores que já atuam na região e a infraestrutura existente para garantir às florestas o importante papel de ajudar a preservar as nascentes dos rios.

A escolha do local para o início do trabalho, segundo a TNC, é explicada pelas características de onde está localizada a Bacia do Rio Mucuri. A região conta com remanescentes de Mata Atlântica, um dos biomas mais biodiversos do planeta, e que ocupa atualmente apenas 12% da sua área original no Brasil.

Para a Suzano, os objetivos ultrapassam as suas fronteiras. Além de o Rio Mucuri ser importante para o abastecimento de sua unidade industrial localizada no município de Mucuri, na Bahia, ao longo dele vivem diversas comunidades da região, muitas delas dependentes das águas para geração de renda, como pescadores, agricultores e comunidades ribeirinhas.

“O principal destaque desta parceria é a visão estratégia de identificar a importância de preservar uma bacia, e não apenas áreas próximas às operações. É fundamental que as empresas olhem para além de seus ‘muros’ e possam criar também um ambiente de mobilização e inclusão social”, afirma Rubens Benini, gerente de Restauração da TNC. “A ideia da TNC é que as experiências bem-sucedidas possam ser replicadas em outras regiões, inclusive na Bacia do Rio Doce”, complementa.

 A Suzano Papel e Celulose é referência no trabalho de preservação de áreas nativas. Segunda maior fabricante de celulose de eucalipto do mundo e maior fabricante de papéis da América Latina, a companhia mantém 480 mil hectares de áreas de preservação, entre elas o Parque das Neblinas, reserva que, além da biodiversidade da Mata Atlântica, protege 400 nascentes.

 A companhia também é mantenedora do Instituto Ecofuturo, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) cujo objetivo é contribuir para a expansão da consciência socioambiental. Além disso, a partir de suas florestas, a Suzano Papel e Celulose contribui para a remoção de 18 milhões de toneladas de gás carbônico (CO2) da atmosfera.

 Já a TNC, sediada nos Estados Unidos, atua em mais de 35 países, incluindo quase toda a América Latina. A organização ambiental tem como objetivo a conservação do meio ambiente, em um movimento no qual o desenvolvimento e a produção ocorrem lado a lado com a conservação ambiental. A TNC já protege mundialmente cerca de 55 milhões de hectares, além de milhares de quilômetros de rios e de áreas marinhas. 

tnc_rio-mucuri

Parceria de longo prazo

A parceria entre Suzano e TNC teve início em 2008, quando a fabricante de papel e celulose estruturou um plano de ação de gestão da biodiversidade em áreas de floresta nativa nas propriedades florestais da própria empresa. O trabalho conjunto também é representado pelo programa Plante Um Bilhão de Árvores (Plant a Billion Trees), o qual consiste em um conjunto de ações para restauração florestal no Brasil, na China e nos Estados Unidos.

Somente no Brasil, o programa já ajudou a recuperar mais de 11 mil hectares, o que equivale a mais de 29 milhões de árvores nativas. O foco da TNC no Brasil é restaurar áreas para a conservação nos distintos biomas brasileiros, em áreas prioritárias para aumentar segurança hídrica e alimentar.