Vale aumenta produção em 10%, reestruturação da Gol, possível fusão GPA e Carrefour e mais destaques

Por InfoMoney

A Superintendência-Geral do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou, sem restrições, a união dos negócios entre a Suzano Papel e Celulose e a Fibria. Após a publicação no Diário Oficial da União há prazo de 15 dias para eventual recursos de terceiros e então, o anúncio oficial da aprovação do negócio.

De acordo com a Superintendência, existem fornecedores alternativos no mercado nacional e há uma possibilidade de desvio de produção exportada para o mercado interno – o que pode aumentar a concorrência.

Além disso, o Cade destacou que há planos de expansão da capacidade produtiva por fornecedores neste mercado com atendimento a clientes domésticos. Em outras palavras, a operação entre as empresas não deverá prejudicar a concorrência no setor de produtores de celulose.

Na opinião do BTG Pactual, a notícia é positiva e a desvalorização das ações de Suzano devem ser vista como uma oportunidade de compra.

“Apesar de reconhecermos que o acordo ainda possa levar algum tempo para ser concluído, acreditamos que as ações estão fortemente desvalorizadas e que os investidores estão esquecendo dos benefícios do acordo com a Fibria. Para nós, o fato da companhia conseguir produzir um excesso de 50% do seu valor de mercado no fluxo de caixa livre acumulado nos próximos 3 anos é muito bullish para ignorarmos”, escrevem os analistas.