Home / Suzano lança venture capital com US$ 70 milhões em recursos para impulsionar startups

14/06/2022

Suzano lança venture capital com US$ 70 milhões em recursos para impulsionar startups

A iniciativa, inédita no setor de papel e celulose no Brasil, é voltada para estimular o desenvolvimento de soluções de bioeconomia com base em florestas plantadas

A Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, anuncia a criação da Suzano Ventures, o Corporate Venture Capital da companhia que terá US$ 70 milhões em recursos disponíveis para serem investidos em startups. A partir da iniciativa, a Suzano pretende acelerar o processo de Inovação aberta e se tornar uma plataforma global no estímulo ao empreendedorismo em torno de soluções para a bioeconomia com base na floresta plantada.

A prioridade neste primeiro momento será dada a startups e/ou empresas com inovações em negócios a partir de novas tecnologias e aplicações de biomassa celulósica, soluções que fomentem o uso de embalagens celulósicas, além de agtechs que acelerem a produtividade agroflorestal e a captura, mensuração e gestão do sequestro de carbono. Os aportes serão realizados em negócios em estágio inicial (Seed) e mais estruturados (Series A).  A Suzano Ventures também terá uma estrutura de programas de aceleração com equity para alavancar soluções que estejam em estágio laboratorial ou buscando validação comercial (pré-Seed).

Os investimentos selecionados estarão alinhados à estratégia de longo prazo da Suzano, que tem na Inovabilidade, ou seja, a inovação a serviço da sustentabilidade, uma alavanca importante para seu negócio. Ao mesmo tempo, aproximarão ainda mais a companhia do ecossistema de empreendedores que vislumbram fortalecer a bioeconomia a partir do desenvolvimento e aplicação de tecnologias de baixo carbono. A Suzano Ventures estará presente nos principais ecossistemas de inovação e poderá realizar investimentos em startups no Brasil e no exterior.

“O venture capital da Suzano é um instrumento de inovação aberta da companhia com o propósito de acelerar e construir a Suzano do futuro. Ela estará presente em diferentes mercados, com diferentes produtos e novas rotas tecnológicas. Acreditamos que, juntos com o nosso ecossistema, podemos fazer parte da renovação do modo de vida, a partir do desenvolvimento contínuo e acelerado de soluções na área de bioeconomia com base na biomassa florestal”, afirma Julio Ramundo, Diretor de Negócios de Carbono e Corporate Venture da Suzano.

A Suzano tem investido em startups ao longo dos últimos anos com o objetivo de identificar novas avenidas de aplicação da biomassa de eucalipto. Entre os casos de sucesso está a empresa finlandesa Spinnova, responsável pelo desenvolvimento da tecnologia para a produção da primeira fibra têxtil sustentável do mundo desenvolvida a partir de celulose microfibrilada (MFC) de madeira — fibra de celulose reduzida a dimensões nano, fruto de inovação disruptiva.

O investimento inicial da Suzano na Spinnova foi de € 5 milhões e ocorreu em 2017, seguido por rodadas de aporte complementares até 2021, quando a empresa europeia abriu seu capital com um valor de mercado de € 390 milhões. Atualmente, está sendo construída a fábrica da Woodspin, joint venture entre a Suzano e a Spinnova, com previsão de produção da fibra para marcas têxteis globais ainda em 2022.

Agora, com a Suzano Ventures, a companhia pretende garantir maior agilidade na análise de projetos e startups com propostas e soluções às verticais e teses de investimento definidas. Para isso, contará com um time dedicado para sua operação, enquanto a governança para avaliação técnica e financeira dos targets de investimento incluirá especialistas de P&D da companhia, que já estão presentes em ecossistemas de inovação no Brasil, na América do Norte, na China e em Israel.

Confira também:

2022-07-06 07:55:12